Além pelo prêmio, a história em si

Neste artigo, que você deve ler até final, a Edi abre seu coração nos fala sobre todo o amor que sente e como se encontrou na fotografia de Parto.
Tanto amor que tocou fotógrafos do Canadá, Portugal, Austrália e Brasil, dando à Edi uma premiação em nossa 7ª temporada e vista por quase 100.000 pessoas ao redor do mundo em menos de 48h
Quer tocar pessoas com sua foto? Seja Oustanding!

Além pelo prêmio, a história em si

Sou fotógrafa há 3 anos, de parto há 1 ano, e há 7 meses exclusivamente com fotografia documental de partos. Após fazer uma especialização em São Paulo sobre fotografia documental de partos e fotografar o primeiro parto, eu percebi que esse era o nicho de mercado que eu gostaria de seguir.
Apesar da fotografia de partos exigir muito do fotógrafo, é um segmento que te entrega muita verdade em cada imagem.
E em um desses trabalhos, onde eu estava na maternidade para fotografar o nascimento do Davi, aconteceu essa imagem,
Faz 9 anos que o Cadu passou a ser uma estrelinha lá no céu… O Eduardo estava muito emocionado, e quando a esposa dele, a mamãe Camila entrou para o centro cirúrgico ele começou a me contar a história do Cadu.
Eu a ouvi-lo e tentando segurar o choro.
E em meio aos relatos da história do Cadu ele levantou a manga da camisa e me mostrou a tatuagem que ele tinha feito para homenagear o Cadu.
Sem combinar nada, apenas a conexão e a atenção que eu disponibilizei para esse pai, nesse momento, aconteceu essa imagem, premiada na 7ª temporada do Outstanding Maternity Award.
Sinceramente, são momentos assim que me motivam a prosseguir registrando e eternizando sentimentos e histórias verdadeiras.

Edi Canto

Eu quero dividir com vocês algumas características da fotografia documental de partos, que me tocam profundamente.

1. O início de uma vida
A chegada do filho na família é um dos momentos mais marcantes. Muitos casais passam por dificuldades para concluir o sonho da maternidade, mesmo quando a gravidez é de forma natural e espontânea. Tem muita emoção em cada semana gestacional, e estar ali, naquele momento tão íntimo para o casal, fazendo as primeiras imagens dessa vida que está chegando é algo extraordinário.

2. Verdades
Sem dúvida alguma, a fotografia de partos entrega muitas verdades. Não há espaço para sentimentos fingidos nesse momento. Ali cada suspiro, cada lágrima, cada sorriso é carregado de muitas verdades.

3. Sem rotinas
É verdade que muitas vezes temos horário e local pré-definido para o parto e termos muito jogo de cintura para lidar com os imprevistos. Porque na maternidade, aquele pequeno ser que esta por vir é quem manda na agenda dos médicos e dos fotógrafos… A hora que o bebê decide nascer, todos nós precisamos correr para a maternidade.

4. Cada parto é um parto
Nós sabemos qual a estrutura física que nos aguarda em uma maternidade, o ambiente cirúrgico ou a sala de parto normal. Porém, a emoção é única e inerente daquele momento, daquela família.
As paredes são sempre as mesmas, os aparelhos dentro do centro cirúrgico também, mas não o que vivenciamos ali. Isso é o diferencial do nosso trabalho, cada parto é único e o sentimento é como se fosse a primeira vez de novo.

5. Confiança
A fotografia de partos retrata a intimidade do casal e os bastidores da maternidade. Ambos os lados demandam muita confiança para que o fotógrafo esteja ali naquele momento. O bom senso precisa sempre estar à frente para que haja essa liberdade de trabalho e para que os pais se sintam confortáveis naquele momento. Afinal, eles devem curtir o momento, a equipe médica ficar com sua presença e o você eternizar tudo de forma que os pais tenham aquele momento sempre lembrado com muito carinho e respeito.

Eu sou Edi Canto. Fotógrafa de partos e amo fazer o que faço. Sempre me arrepio ao ver ali, bem a frente dos meus olhos, o milagre da vida acontecendo…

 

Texto e fotos: Edi Canto

Site:
Bendito Ventre


Você curtiu essa matéria? Quer ser um colaborador também? Escreva para outstandingawards@gmail.com com o título “Blog Outstanding” para saber como e quando enviar seu artigo.

2 comentários sobre “Além pelo prêmio, a história em si”

  1. Com toda certeza do mundo o Cadu não foi um filho qualquer. Realmente foi um verdadeiro anjo que veio em nossas vidas para nós ensinar muita coisa. Cada dia cada segundo que passei com ele foi um aprendizado inexplicável. Quando ele colocava suas pequenas mãozinhas na minha cabeça e pediu para “jizuis” me abençoar. Ali eu vi que valeu a pena cada dor que senti para ter ele em nossas vidas. Mesmo sendo por 3 anos e 9 meses. Foram os mais significativos em minha vida. Me Chamo Andréia mãe desse anjo que tem um grande, imenso e único significado na minha vida. O misto de dor e AMOR que levarei para o resto da minha vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *